Loading...

Recuperação Judicial da Contém 1g, como aprender com casos reais.

Recuperação Judicial da Contém 1g, como aprender com casos reais.

Bem conhecida no mercado de cosméticos a empresa Contém 1g surpreendeu o mercado ao entrar em recuperação judicial, o que sua empresa pode aprender com os erros e acertos de outras grandes empresas.

Recuperação judicial:

A recuperação judicial tem o objetivo de viabilizar a situação de crise econômico-financeira da empresa devedora, a fim de permitir a manutenção da atividade da empresa, o emprego dos trabalhadores e os interesses dos credores, preservando assim a empresa e sua função social

A Contém 1g faturou no ano passado R$ 114 milhões, sendo apontada como a oitava maior companhia de maquiagens do país. O que faz com que algumas pessoas se perguntem: O que leva uma empresa com tamanha participação de mercado e um faturamento tão “elevado” a entrar em recuperação judicial? E a resposta é basicamente: Lucratividade e rentabilidade.

Sacrificando a lucratividade:

Após a crise dos últimos anos a empresa, para aumentar suas vendas, a empresa sacrificou sua margem de lucro, comprometendo assim sua rentabilidade, o faturamento da empresa aumentou em 60%, porém a rentabilidade teve uma queda expressiva. Em 2016 a empresa entrou no mercado de Marketing Multinível, que é o pagamento de bônus aos participantes para que a rede possa crescer, porém sacrificou neste processo sua margem de lucro. Com o objetivo de aumentar sua participação nesta área a empresa não teve como aumentar o preço dos seus produtos.

O aumento no volume de vendas somado a uma margem de lucro baixa fez com a empresa precisasse pegar capital de terceiros junto a bancos, o que representa a maior parte do seu débito hoje, e também parcelar débitos com fornecedores, 20% do seu débito atual, para que sua produção não fosse prejudicada.

Aumento de vendas é garantia de melhoria no resultado:

Muitos empresários veem o aumento de vendas como a solução ideal para seus problemas econômico-financeiros, mas esta nem sempre é a solução. Projetos de aumento de vendas sem antes verificar precificação, custo e margem de lucro dos produtos, faz com que em muitos casos a empresa tenha seu quadro financeiro agravado. Um produto com margem de lucro baixa atrelado a prazo de pagamento e recebimento divergente e baixo capital de giro faz com que a empresa precise de capital de terceiros para manter sua operação, aumentando assim o pagamento de juros com empréstimos.

A empresa que já está com sua lucratividade já comprometida em decorrência da baixa margem agora também terá um aumento nas despesas financeiras, ou seja, este círculo vicioso é uma ótima receita para levar qualquer empresa à beira da falência.

Analise antes de agir:

O primeiro passo para qualquer empresa antes de planejar algum projeto de aumento de vendas é analisar muito bem o custo do produto e sua precificação, analisar se o seu capital de giro suporta o aumento das vendas até que o produto seja efetivamente vendido e também caso necessite de capital de terceiros se o valor de juros pagos por esta operação não inviabiliza ou encarece o preço final do produto, tirando assim sua competitividade no mercado. Veja mais sobre Equilíbrio Financeiro.

Cases reais de Recuperação Judicial são ótimas escolas para que os empreendedores vejam na prática o efeito de situações do dia a dia das empresas no longo prazo, casos como Contém 1g e Oi, mais atuais, são ótimas lições de casa para os empreendedores. Bons Estudos!

Veja mais sobre análise de resultados em empresas reais no Caso da Eletrobrás, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
 
 

× Quer tirar alguma dúvida? Fale conosco